7 da tarde e ainda não lavei os dentes

Bio na cozinha, bio na casa-de-banho

Cá em casa, o conceito “biológico” está a alastrar-se a todas as divisões. Felizmente.

Começámos pelo frigorífico e com os legumes, as frutas e os ovos bio. Mais tarde descobrimos os iogurtes, as compotas, o queijo. Na despensa há a manteiga de amendoim, a quinoa, as bolachas, a aveia, o azeite, o chocolate e por aí fora. Diria que, neste momento, 75% de tudo o que usamos para cozinhar é biológico.

Nos roupeiros do quarto também há peças em algodão orgânico, de marcas portuguesas que conhecemos durante as gravações do programa “Missão: 100% Português” e das quais também ficámos fãs.

A novidade – que chegou para ficar – está agora na casa-de-banho, com a nova gama de produtos BIO da Corine de Farme.

  

A fórmula ultra-doce destes cremes de duche, sem sulfatos, limpa a pele e deixa-a mesmo hidratada e macia. Até a pele mais sensível, como a minha – tenho Dermatite Atópica e dou-me lindamente com estes produtos.

Gosto particularmente do “Relax”, enriquecido com glicerina vegetal hidratante e com flor de Amor Perfeito bio, reconhecida pelas suas propriedades calmantes e suavizantes.

Há ainda o “Detox”, com folhas de verbena bio, com propriedades mais antioxidantes. E, para as miúdas, usamos o “KIDS” – com um cheirinho bom, suave, e uma fórmula que não contém sulfatos e só tem coisas boas para a pele delas.

Até o gel de higiene íntima é bio. Na sua composição não há sulfatos nem perfume, mas há extrato de flor de amendoeira (suavizante), extrato de aloé vera bio (hidratante) e ácido lático (para preservar o equilíbrio desta zona).

Se podemos rodear-nos de produtos bons, muitas vezes ao mesmo preço de todos os outros, porque é que haveremos de querer menos ou pior? 🙂

 

Artigo escrito em parceria com a Corine de Farme

Um comentário em “Bio na cozinha, bio na casa-de-banho

  1. Cisne

    Catarina, estive ontem no espectáculo do Raminhos. Adorei, como sempre, claro! Mas devo dizer que ainda não suplantou “As Marias”, nesse ri tanto que me doía a barriga – sensações que não se esquecem ^_^
    Mas bom, o propósito era dizer que se se sentiu observada era eu a perceber se tinha ou não coragem para a cumprimentar pessoalmente (que para mim tem mais significado) e dizer que adoro ler o blog. Infelizmente a coragem não me valeu, mas veio agora. Obrigada por um bom bocadinho sempre que leio!
    Beijinhos e bom trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *