7 da tarde e ainda não lavei os dentes

Já temos paredes!

Casa nova – parte 2

Conforme vos tinha contado aqui, estamos a construir a nossa casa em madeira e da forma mais sustentável e ecológica possível.

Neste momento – e depois de várias semanas em que a única coisa que vimos crescer foi a laje – uma enorme base de betão – estamos naquela a que chamo “a fase Ikea” porque há todo um conjunto de tábuas por montar.

Agora – finalmente! – já vemos a coisa ganhar forma! Já temos paredes e mesmo a zona exterior começa a ganhar contornos mais próximos dos finais. A inclinação natural do terreno tem sido um verdadeiro desafio, mas até ao momento está tudo a correr bem.

No tempo que passou desde o último texto acerca da casa, escolhemos a empresa que vai tratar das janelas e restantes vidros, escolhemos os azulejos para as casas de banho e para a cozinha e “desenhámos” os armários de todos os quartos e do closet.

Decidimo-nos por um chão de cortiça, em “tábua corrida”, 100% impermeável o que nos permite colocá-lo também nas casas-de-banho e cozinha. Fica a casa toda com o mesmo chão.

Além de ser impermeável, ajuda a melhorar também a acústica da casa e a equilibrar a temperatura do interior. Estamos mesmo fãs deste material!

Já escolhemos e encomendámos os electrodomésticos todos para a cozinha – da Meireles, por serem bons, terem linhas interessantes e por serem portugueses! E escolhemos também as bases de duche e loiças das casas de banho, da Sanitana, pelos mesmos motivos: por serem boas, terem linhas interessantes e serem portuguesas.

Esta semana tivemos a visita técnica de uma empresa de jardinagem aqui da zona que vai apresentar orçamento para a parte exterior. Confesso que é uma das coisas com as quais estou mais empolgada. Sempre adorei estar de volta das plantas e aprecio um jardim bem cuidado – sobretudo se as plantas e as árvores escolhidas forem as nossas, como as oliveiras, azinheiras ou sobreiros. Não sou fã de espaços muito exóticos… prefiro vegetação autóctone.

Estou curiosa para ver como vai resultar esta sinergia entre o interior da casa e o exterior e como vão funcionar os espaços de ligação contemplados em projecto: um jardim interior à entrada da casa (que separa a zona de quartos da área social, composta por uma cozinha aberta para a sala) e um outro mais pequeno no nosso quarto.

Digo-vos uma coisa: construir uma casa, pensada de raiz por nós, é uma enorme carga de trabalhos e um exercício constante de paciência. É estar sempre a fazer contas à vida e a fazer opções – geralmente acompanhadas de cedências. Mas dá um gozo tremendo ver a casa ganhar forma. A nossa casa!

Percorrer os corredores deste esqueleto gigante já me traz uma sensação tão boa que nem imagino como será depois…

19 comentários em “Já temos paredes!

  1. Sónia Oliveira

    Catarina parabéns pela vossa casa. A nossa também está quase a começar e será do mesmo género. Gostava de perguntar uma coisa, o chão da vossa casa é vinylcomfort da wicanders?
    Peço desculpa pela pergunta mas também queremos chão igual em todas as divisões da casa.
    Obrigada e muitas felicidades

    1. Catarina Fernandes Raminhos Autor

      Olá! Obrigada 🙂
      É parecido, mas agora há esse material numa versão mais impermeável e com pegada ecológica negativa que se chama “Wise”, mas a base é a mesma, uma espécie de soalho flutuante, mas feito de cortiça. E ser Wicanders ou Amorim é a mesma coisa porque uma empresa comprou a outra 🙂
      Felicidades para vocês também!

    1. Catarina Fernandes Raminhos Autor

      A empresa de construção é a Wood Houses Portugal; a de arquitectura é a OTK Arquitectos, as duas de Mafra. No primeiro texto tem lá os links directos 😉

  2. Neuza

    Bom dia,
    Pode dizer-me se para a aprovação da câmara é necessário que o terreno não seja de area agrícola?
    Há muito a ideia de que se podem construir casas modulares e afins em terrenos que sem area licenciada para construção.
    E o banco pede os projectos?

    Muito obrigada,

    Neuza

    1. Cristina

      Construímos uma casa tradicional num terreno sem área de construção pedimos uma autorização e deram nos 200metros quadrados de construção obedecendo a certas regras também nada de muito difícil que consolidamos muito bem com aquilo que pretendíamos !

    2. Catarina Fernandes Raminhos Autor

      No caso do concelho de Mafra, só se pode construir em terrenos urbanos (sejam casas de madeira ou alvenaria); no entanto há excepções: se for um terreno agrícola mas de uma área superior a X metros quadrados, pode construir numa determinada área. Ou se o terreno tiver uma ruína que seja reconstruída. Mas o melhor mesmo é marcar uma reunião com o departamento de urbanismo da sua câmara e esclarecer estas dúvidas 😉

  3. Sofia da Costa

    MUITOS PARABÉNS pela iniciativa e por serem uma família que esta constantemente a “abrir” a mente portuguesa para novas formas de pensar e de estar. São um verdadeiro exemplo de uma família consciente da importância de sermos chegados à terra, as tradições e as nossas origens mas sem nunca esquecer o futuro e o mundo em que vivemos 😊😍

    Obrigada por partilharem connosco e nos ensinarem tanto 😍😍

  4. Maria Adelaide Coelho

    A sra escreve tão bem, dá-me a sensação que é uma pessoa muito zen e atenciosa,por isso, vou dar uma opinião que é somente isso uma mera opinião e a sra não vai levar a mal. A vossa casa parece estar num sitio muito isolado, podiam circundar a casa com gradeamento em ferro para proteção e alarme. É só uma ideia, porque para mim o mais importante sempre é a proteção, na minha casa já coloquei gradeamento, porta blindada e alarme e quando for para lá viver compro um pastor alemão ou um doberman e, a minha casa é num bairro e a do meu pai, onde vivo, tambem está toda armadilhada. Se voltasse a viver no campo só num bunker,cresci no campo e infelizmente acabamos por vir para a cidade por causa dos assaltos. Mas, se o mundo fosse um paraiso vivia no campo, nunca na cidade. Beijinhos para a sra e para as suas pequeninas e a foto onde uma das suas filhas,parece a Maria Inês, está no cume do terreno a olhar para a casa,essa foto está linda.

  5. Henrique Samagaio

    Fantástica! Sou um tipo da área económica e financeira, já reformado, mas também desenhei e ajudei a minha mulher a construir a nossa moradia nos anos 80. Ela dirigiu os trabalhadores com mão de ferro (kkkkk ainda hoje lhe têm um respeito do caraças, não é medo!) e adoro a forma como estão tão envolvidos na construção da vossa!
    Um erro que cometi, e muitos cometem, que espero vocês não cometam. Fiz uma moradia para a nossa idade e os 3 filhos, na altura. Esqueci-me que envelhecemos e as acessibilidades ficaram esquecidas. Mas, como a casa é nossa (quer dizer, temos que pagar ao senhorio 350€ de IMI) agora estamos a adaptar para o que nos falta, que é o equilíbrio, as artroses, artrites, espondicoisas todas da carcaça com 70 anos! Mesmo quando somos novos, uma casa de banho com apoios faz sempre falta!
    Gosto muito dessa família e desejo-vos o melhor!

  6. Anabela Diniz

    Olá boa noite. O Raminhos respondeu a uma das questões que lhe fizeram sobre a casa indicando que ficava por cerca de 850 m2. A empresa da casa trata tambem do terreno e burocracias? Pergunto isto porque já li sobre este tipo de situações em algum lado. Obrigada e linda casa 😊

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *